Discipulado

Nosso alvo como igreja é gerar filhos e fazer discípulos. Jesus investiu todo o Seu ministério em pessoas. Se estamos aqui hoje, é porque alguns homens responderam a um chamado e se dispuseram a seguir e servir Jesus. Que Deus nos dê pleno entendimento de cada um dos princípios que envolvem o discipulado. Queremos responder a Deus, e sabemos que isso acontece dia a dia no relacionamento entre líderes e liderados.

 

O discípulo

O discípulo é aquele que segue os ensinamentos de um mes­tre. Como isso acontece? Através do discipulado.

 

O discipulado

O discipulado é um relacionamento de vida para o cum­primento do propósito de Deus. Há uma transmissão de vida, na qual recebemos tudo de quem nos discipula. Não somos nós que escolhemos as pessoas com quem vamos caminhar. É um arranjo completamente celestial.

Deus une pessoas e faz alianças para um propósito. Você já parou para pensar por que Deus o colocou para andar com certa pessoa e não com outra? Porque nosso Deus é um Deus de propósitos. Alguém já falou que você se parece com seu líder, ou que um dos seus liderados se parece com você? Pois é, essa seme­lhança é um fato (Pv 13:20). A influência que exercemos é muito maior do que podemos imaginar.

So­mos transmissores de uma genética natural e também espiritual, compartilhamos de um mesmo DNA. Jesus era movido por um propósito: formar discípulos. Por isso, levou Seu discipulado até o fim. Como Ele, também de­vemos estar focados nesse objetivo. Estamos hoje, como igreja, formando a imagem de Cristo na vida de cada um de nossos discipuladores, líderes de crianças e juvenis. O discipulado é o meio pelo qual fazemos isso.

 

Recebendo a unção de nossos líderes

Anos de investimento e de incentivo são necessários para que a reprodução aconteça. Devemos aproveitar todo o tempo que tivermos para aprender e receber de Deus através de nossos líderes. Essa deve ser nossa postura como liderados. Em Números 11:16,17, vemos claramente a transferência de unção para o cumprimento do propósito. Moisés tinha uma grande obra a realizar. Todavia, ele não conseguiria fazê-la sozinho.

A mesma unção e o mesmo Espírito que estava sobre Moisés seriam multiplicados e minis­trados sobre outros líderes para que juntos pudessem realizar a obra que lhes fora comissionada pelo Senhor. Deus tem caminhos, planos para cada um de nós. Por isso, devemos discernir o tempo, as oportunidades e as pessoas que Ele tem colocado ao nosso lado. O discipulado é um tempo de aprender, de receber influências. Por isso, devemos aproveitar o máximo possível cada momento.

Nos Seus três anos de minis­tério, Jesus ensinou intensivamente. Havia um propósito em Seu ensino: edificar a igreja. Não podemos ver nossos discípulos como pessoas que são colocadas ao nosso lado, dentro de uma rede de células, para uma simples organização, mas para que a igreja seja edificada. O discipulado tem o po­der de marcar as pessoas. É um tempo de testes e de respostas. Em 1 Coríntios 4:1, a Bíblia diz que somos os despenseiros de Deus. A pa­lavra “despenseiro” tem o significado de encarregado, mordomo. Somos encarregados de quê? De liberar o que está na despensa. Há em nós um reservatório da vida de Deus, da unção e dos dons do Espírito. Cada experiência que Deus nos permite viver, tudo aquilo que Ele nos tem ensinado através das crises e pressões acrescenta esses mantimentos em nossa despensa celestial. Cada situação vivenciada produz em nós um eterno peso de glória. Tudo isso nos habilita a ser ministros poderosamente usados na vida de outras pessoas.

Lembro-me de quando era recém-casada. Ao chegar de lua de mel, recebi a triste notícia de que meu marido estava desempregado. Foi uma das épocas mais difíceis para mim, mas também foi o tempo em que mais cresci em toda a minha vida. Pudemos experimentar do suprimento de Deus e ser tratados, expostos e amadurecidos com aquela situação. Depois de algum tempo, um casal de discípulos nosso se casou e, por incrível que pareça, eles passaram exatamente pela mesma experiência que já havíamos passado. Ao aconselhá-los, pudemos liberar palavras de vitória sobre suas vidas, mediante princípios que Deus já havia nos ensinado. Fomos canais do Espírito para marcar suas vidas. Ao nos relacionar através do discipulado, liberamos o que temos recebido em nossas vidas aos nossos discípulos. Cada atitude, cada palavra é um “tijolo” na construção do grande edifício de Deus.

 

O trabalhar de Deus em nós

Você sabia que estamos edificando a casa de Deus? É isso mesmo. A todo o momento, estamos lançando mão de materiais para a construção da habitação do Senhor: a igreja. Homens e mulheres estão sendo edificados a partir da vida de Deus que está em nós. Houve um grande investimento de tempo, mão de obra e recursos financeiros para a construção do tabernáculo, que representava a habitação de Deus no Velho Testamento. Isso não mudou. Hoje também estamos edificando a igreja, e faz-se necessário muito investimento.

Deus usou pedras que, para serem úteis para a edificação, deveriam ser lapidadas (Êx 31:1-6b). Cada um de nós é uma pedra. Vie­mos do mundo completamente brutos e inteiros. Por isso, devemos ser trabalhados para que possamos ser habitação de Deus, para que posamos ser Seu tabernáculo, Sua expressão na terra. Muitas vezes, esse processo de lapidação é desconfortá­vel; às vezes, até dolorido; mas, no fim, veremos que valeu a pena, pedras lapidadas e polidas que estarão sendo colocadas em lugares de honra para que todos vejam quão grande obra o construtor realizou.

Não se esqueça, o discipulado é de Deus. Ele tem o poder de nos transformar. É como o processo da abertura de um poço artesiano. Leva tempo para cavá-lo, para atingir as águas profundas, mas depois que chegamos lá, encontramos água limpa, pronta para jorrar, fluir e dar vida a outros. O tempo do discipulado depende de duas coisas: do tempo de Deus e também da nossa resposta. Se você crê que sua liderança foi constituída por Deus, haverá unção do Espíri­to, habilidade ao lapidar, inteligência e conhecimento para a edificação (Êx 31:3). O Senhor é o maior interessado em fazer isso. Confie n’Ele, dê as respostas certas e você será um lindo edifício para glorificar o Seu nome.

 

O poder de reprodução do discipulado (Êx 35:34,35)

O casal que mencionei anteriormente e que passou por dificuldades hoje lidera célula em nossa igreja. Eles têm sido uma bênção na vida de outros casais e de muitas crianças e juvenis. Com certeza, reproduzirão o que aprenderam com Deus andando conosco. Nem sempre podemos ensinar tudo, mas vamos despertar a sede, o desejo de crescer e de vencer as circunstâncias através do discipulado, da fé. A maturidade e a experiência não podem ser ensinadas, mas devem ser vividas com Deus, e nós somos os canais para que isso aconteça.

 

Últimos discipulados:

O Trilho do Crescimento na PIB Imperial

Veja Também

Festa Junina, meu filho pode participar?

Artigos

O Campeonato PIB Imperial de Futebol 2017 vem aí, faça sua inscrição

Notícias

ENQUETE: Atualmente, qual é a maior dificuldade que você enfrenta para se relacionar com Jesus? O que te impede de avançar?

Notícias

Curso de Consolidação – Capítulo 12

Artigos

FAÇA SEU COMENTÁRIO